A relação incluiu craques de 14 clubes do Brasil e de dois da Itália. Só o Santos foi obrigado a ceder sete deles. O Palmeiras, seis, o Botafogo, o Flamengo e o São Paulo, cinco cada.

Faz 50 anos que a Confederação Brasileira de Desportos, atual CBF, fez a mais polêmica de todas as convocações, divulgando uma lista de 47 jogadores para o período de treinos visando a Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra.

Pouco se discutiu sobre o valor individual de cada um. Todos tinham alguma qualidade. Ficou marcado sobretudo o fato da Comissão Técnica ter formado quatro equipes, finalizando a preparação sem definir nenhuma. A relação incluiu craques de 14 clubes do Brasil e de dois da Itália. Só o Santos foi obrigado a ceder sete deles. O Palmeiras, seis, o Botafogo, o Flamengo e o São Paulo, cinco cada.

Os desfalques dos clubes eram tantos que o Rio-São Paulo de 1966 foi paralisado ao fim da primeira fase. As quatro equipes – Botafogo, Corinthians, Santos e Vasco – que lideravam o torneio acabaram sendo oficialmente declaradas campeãs.

Naquele ano, a Seleção dos 47 nomes fez 12 partidas contra seleções e outras quatro diante de clubes, seis delas já na Europa, obtendo 13 vitórias e três empates. Mas na véspera da estréia na Copa ainda permanecia o mistério em torno da escalação. Tanto que o técnico Vicente Feola trocou cinco jogadores do último amistoso, 3 a 2 sobre a Suécia, em Gotemburgo, para a primeira partida na Inglaterra.

O Brasil começou vencendo a Bulgária: 2 a 0. Mas o desastre não tardaria, com derrotas de 3 a 1 para a Hungria e 3 a 1 para Portugal, com a eliminação ainda nas oitavas de final. Pudera.

Detalhes – Apesar da tragédia em Liverpool, a tese defendida pelo então presidente da CBD, João Havelange, a de que com Garrincha e Pelé o Brasil era invencível, acabou vingando: ambos enfrentaram a Bulgária, mas o Rei esteve ausente contra a Hungria e Mané contra Portugal.

Outra: seis dos jogadores que estiveram em 1966 integraram a Seleção que foi tri em 1970: Brito, Gérson, Jairzinho, Tostão, Pelé e Edu. E dos 25 cortados antes da Inglaterra, só Carlos Alberto Torres participou da conquista no México.

 

Esses foram ao Mundial de 1966

– Goleiros: GILMAR Santos Neves (Santos) e MANGA – Haílton Correia Arruda (Botafogo)

– Laterais: DJALMA SANTOS (Palmeiras), José FIDÉLIS dos Santos (Bangu), PAULO HENRIQUE de Oliveira (Flamengo) e RILDO da Costa Menezes (Botafogo)

– Zagueiros: ALTAIR Gomes de Figueiredo (Fluminense), Hideraldo Luis BELLINI (São Paulo), Hércules BRITO Ruas (Vasco) e ORLANDO Peçanha (Santos)

– Apoiadores: DENÍLSON Custódio Machado (Fluminense), GÉRSON de Oliveira Nunes (Botafogo), Antônio LIMA (Santos) e ZITO – José Ely de Miranda (Santos)

– Atacantes: ALCINDO Martha de Freitas (Grêmio), EDU – Jonas Eduardo Américo (Santos), GARRINCHA – Manoel dos Santos (Corinthians), JAIRZINHO – Jair Ventura Filho (Botafogo), PARANÁ – Ademir de Barros (São Paulo), PELÉ – Édson Arantes do Nascimento (Santos), Walter Machado da SILVA (Flamengo) e TOSTÃO – Eduardo Gonçalves de Andrade (Cruzeiro).

 

Esses ficaram de fora

– Goleiros: FÁBIO Arlindo Medeiros (São Paulo), UBIRAJARA MOTA (Bangu) e VALDIR Joaquim de Moraes (Palmeiras)

– Laterais: CARLOS ALBERTO Torres (Santos), Paulo MURILO Frederico Ferreira (Flamengo) e ÉDSON Barbosa de Souza (Corinthians)

– Zagueiros: DITÃO – Gilberto Freitas do Nascimento (Flamengo), DJALMA Ferreira DIAS (Palmeiras), Sebastião LEÔNIDAS (América-RJ) e José Anchieta FONTANA (Vasco)

– Apoiadores: Roberto DIAS Branco (São Paulo), DINO SANI (Corinthians), DUDU – Olegário Toloi (Palmeiras), FEFEU – Alfredo de Souza (São Paulo) e OLDAIR Bacchi (Vasco)

– Atacantes: AMARILDO Tavares Santana (Milan-ITA), CÉLIO Taveira Filho (Vasco), FLÁVIO Almeida da Fonseca (Corinthians), IVAIR Ferreira (Portuguesa de Desportos), JAIR DA COSTA (Internazionale-ITA), NADO – José Rinaldo Lassávia (Náutico), Antônio PARADA Neto (Botafogo), PAULO BORGES (Bangu), RINALDO Luis Amorim (Palmeiras) e SERVÍLIO de Jesus Filho (Palmeiras).

 

Os 16 amistosos de 1966

3 x 1 Gales (Maracanã)

1 x 1 Chile (Morumbi)

1 x 0 Gales (Mineirão)

1 x 0 Chile (Maracanã)

4 x 0 Peru (Morumbi)

4 x 1 Polônia (Mineirão)

3 x 1 Peru (Maracanã)

2 x 1 Polônia (Maracanã)

2 x 1 Tchecoslováquia (Maracanã)

2 x 2 Tchecoslováquia (Maracanã)

1 x 1 Escócia (Glasgow)

3 x 2 Suécia (Gotemburgo)

5 x 3 Atletico Madrid (Madri)

8 x 2 Atvidaberg-SUE (Atvidaberg)

4 x 2 Almannia-SUE (Estocolmo)

3 x 1 Malmö FF-SUE (Malmoe)

 

Total

Vitórias: 13

Empates: 3

Gols pró: 47

Gols contra: 19

Foto: reprodução