Aos 42, o goleiro da Macaca rebateu mal um escanteio, e Jorge apanhou a sobra na meia-lua para chutar de primeira, num belo gol: Flamengo 2 a 1. Na realidade, um empate teria sido o resultado mais justo

O Corinthians jogou o suficiente para obter excelente vitória, 2 a 0 sobre o Sport, em Recife. Pois é. O Timão não chegou a repetir a boa atuação que teve no 3 a 0 sobre a Ponte Preta, na rodada anterior, mas faturou três pontos de grande importância

O Flamengo obteve vitória fundamental para a sua continuidade no Brasileiro: 2 a 1, de virada, sobre a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, numa partida em que jogou a conta do chá para vencer. Méritos para o treinador Zé Ricardo Mannarino, que não inventou, utilizando de forma inteligente o que tinha em mãos.

Dois gols confusos marcaram o primeiro tempo. Aos 11 minutos, Roger cabeceou para dentro, o auxiliar José Eduardo Bernardi anotou posição ilegal, mas voltou atrás, levando o árbitro a confirmar o gol. Aos 21, Alan Patrick cobrou falta pela esquerda, Felipe Azevedo desviou e tirou a bola do alcance de João Carlos. O outro bandeirinha, Hélton Nunes, também assinalou impedimento. E a exemplo do colega, corrigiu a falha, confirmada por Anderson Daronco, dado que o último toque foi do jogador da Ponte. Aos 42, o goleiro da Macaca rebateu mal um escanteio, e Jorge apanhou a sobra na meia-lua para chutar de primeira, num belo gol: Flamengo 2 a 1. Na realidade, um empate teria sido o resultado mais justo.

A Ponte voltou para a etapa derradeira com duas mudanças: Christian e Pottker substituíram respectivamente Ravanelli e Wellington Paulista. A ordem era atacar. O Flamengo não fez troca. E tomava o cuidado de manter os 11 jogadores em seu campo quando o time paulista tinha a posse da bola. Aos 12, Gabriel entrou no lugar de Felipe Vizeu, que praticamente não participava do jogo. E aos 17, Fernandinho, peça nula em campo, tomou justamente o segundo cartão amarelo e foi expulso. Zé Ricardo pôs Cuellar na vaga de Alan Patrick para reforçar a defesa, e Eduardo Baptista lançou Tiago Galhardo no lugar de Matheus Jesus, para tornar é claro seu time ainda mais ofensivo.

Daí em diante, como seria de se esperar, o Rubro-Negro abriu mão de ir à frente, e a Ponte passou a pressionar. Parecia difícil que a equipe carioca pudesse resistir. As finalizações da Macaca, no entanto, eram ruins. Aos 48, Alex Muralha fez intervenção espetacular em virada de Felipe Azevedo.

No Recife
O Corinthians jogou o suficiente para obter excelente vitória, 2 a 0 sobre o Sport, em Recife. Pois é. O Timão não chegou a repetir a boa atuação que teve no 3 a 0 sobre a Ponte Preta, na rodada anterior, mas faturou três pontos de grande importância, não só para subir na tabela, é óbvio, mas para ganhar confiança. Guilherme, com passes para os dois gols, foi fundamental para o resultado.

O primeiro tempo foi de poucas emoções. O Sport manteve maior posse de bola, mas as oportunidades foram iguais. Edmílson acertou uma pancada de primeira no travessão de Walter, e Marquinhos Gabriel concluiu com um chute fraco, para a defesa de Magrão, um belo lançamento de Guilherme, que deixou o companheiro livre na frente do goleiro.

O Sport voltou melhor para o tempo final, atacando e defendendo em bloco, enquanto o Corinthians, mais retraído, não mostrava velocidade nos contra-ataques. Aos 16 minutos, Tite trocou Luciano por Lucca, e a estrela do jogador brilhou aos 24, quando recebeu passe de Giovanni Augusto e fez 1 a 0. O time pernambucano ficou sem muitas opções.

Aos 33, Guilherme, mais uma vez, levantou para Marquinhos Gabriel, que acertou um belo chute de voleio, e enfiou 2 a 0, praticamente liquidando o adversário. O Sport ainda fez mudanças, que são mostraram inúteis, dado que o time não conseguiu esboçar reação. O Corinthians começa a se firmar no Brasileiro.

Foto: Reprodução Twitter Liverpool @LFC