Não seria exagero afirmar que o Santos foi um time cauteloso em Osasco, evitando assim, na primeira partida das finais do Estadual, um desastre que o deixasse em situação desconfortável para a segunda partida contra o Audax, que será na Vila Belmiro. E se saiu atrás, graças a um lance individual de Mike, conseguiu jogar o suficiente para buscar o empate, no chute de Ronaldo Mendes. O problema do time grande, em decisões contra pequenos, é que entra sempre como favorito, com a obrigação de ganhar, e principalmente agora, que atuará em casa. Logo, cabe ao Santos, no próximo e definitivo encontro, driblar a pressão que provavelmente sofrerá de sua própria torcida.

Pênalti perdido
O América venceu o Atlético por 2 a 1 no Independência, na abertura da decisão mineira. Não se tira o mérito do Coelho. Mas fica a dúvida: será que o Galo jogou com a cabeça no duelo de quarta-feira, pela Libertadores, contra o Racing? Os jogadores vão negar, é claro. No entanto, parece difícil que o Alvinegro, com o time titular, como ocorreu ontem, possa perder com alguma facilidade para um adversário que lhe é inferior sob o aspecto técnico. De qualquer forma, João Ricardo, que defendeu pênalti cobrado por Robinho, e Danilo Barcelos, que marcou os gols americanos, são por ora os protagonistas

Colorado
O Inter tomou o Grêmio como exemplo e tratou de dar toda a importância ao Juventude, que havia eliminado o rival, e fez o bastante para vencê-lo por 1 a 0 na abertura da decisão gaúcha, no caldeirão de Caxias do Sul. O belo gol de Andrigo pôs o Colorado em vantagem, e nem a expulsão de Vitinho, que recebeu dois cartões amarelos em sequência, abriu espaço para o adversário chegar ao empate. O time dirigido por Argel Fucks, no entanto, terá que continuar se espelhando na queda do rival, para não se tornar outra vítima do Juventude.

Foto: Bruno Cantini/Atlético MG