Não foi um jogo tão ruim como o de ida, na Inglaterra, mas esteve muito longe de Bayern Munique x Atlético de Madrid, farto de emoções. Na realidade, não era difícil prever que o City seria mero figurante nas semifinais.

O Real Madrid começou disposto a decidir, fez 1 a 0 aos 20 minutos, e daí em diante bastou ao time espanhol administrar a incompetência e a apatia do Manchester City, personificadas no marfinense Yaya Touré, que não viu a cor da bola, permanecendo inacreditáveis 60 minutos em campo.

Não foi um jogo tão ruim como o de ida, na Inglaterra, mas esteve muito longe de Bayern Munique x Atlético de Madrid, farto de emoções. Na realidade, não era difícil prever que o City seria mero figurante nas semifinais. Satisfeito com o 0 a 0 em casa e absolutamente conformado em Madri.

Também impressiona como o Real depende de Cristiano Ronaldo para ser feliz. Como o português não jogou em Manchester, e estava em más condições na partida de hoje, a equipe espanhola só ganhou graças aos lampejos de Gareth Bale, que fez o gol, e como dito, da pasmaceira do adversário.

Resta saber agora como que o Real vai superar a retranca do Atlético, dia 28, em Milão, na finalíssima, e se Atlético vai acertar um ou dois contra-ataques fatais – que é o seu estoque habitual. De qualquer forma, como se trata de Liga dos Campeões, e de uma partida só, sem chance para erro, é provável que a partida seja interessante.

Foto: Víctor Carretero/Realmadrid.com