A campanha do Real é francamente superior à do Atlético: nove vitórias, dois empates e apenas uma derrota, 27 gols a favor e cinco contra.

Mas a trajetória do Atlético, embora inferior em números, é heróica, pois teve que eliminar dois gigantes da Europa, o Barcelona e o Bayern Munique. O time ganhou seis partidas, empatou três, perdeu três, marcou 16 vezes e tomou sete bolas na rede.

Atlético e Real, ambos de Madri, decidem neste sábado no Estádio Giuseppe Meazza, em Milão, a 61ª edição da Liga dos Campeões da Europa. São times de características distintas. O Atlético, dirigido pelo argentino Diego Simeone, prioriza a defesa, com o objetivo de explorar os contra-ataques, conduzidos por Antoine Griezman e Fernando Torres. O Real, cujo técnico é o francês Zinedine Zidane, joga basicamente um futebol ofensivo, com referências em dois craques, o galês Gareth Bale e o português Cristiano Ronaldo, ambos capazes de armar e finalizar com a mesma facilidade.

 

A campanha do Real é francamente superior à do Atlético: nove vitórias, dois empates e apenas uma derrota, 27 gols a favor e cinco contra. O adversário mais difícil que enfrentou foi o Paris Saint-Germain, ainda na fase de grupos: 0 a 0 fora e 1 a 0 em casa. Mas a trajetória do Atlético, embora inferior em números, é heróica, pois teve que eliminar dois gigantes da Europa, o Barcelona e o Bayern Munique. O time ganhou seis partidas, empatou três, perdeu três, marcou 16 vezes e tomou sete bolas na rede.

O Real é também o clube de maior tradição na história da Liga dos Campeões: disputou 13 finais e venceu 10. O máximo que o Atlético alcançou no torneio foi o vice-campeonato: em 1974, quando foi superado pelo Bayern Munique, e em 2014, ocasião em que caiu diante de seu rival deste sábado, em duelo dramático, realizado em Lisboa. Ganhava por 1 a 0 até os 45 minutos do segundo tempo, quando sofreu o gol de empate. Na prorrogação, apanhou de 4 a 1.

A decisão entre os dois clubes madrilenhos é uma autêntica Torre de Babel. Os times reúnem em seus elencos jogadores de 18 nacionalidades distintas. Há representantes até de Costa Rica, Eslovênia e Guiné Equatorial.

Vale lembrar que Atlético e Real disputaram rodada após rodada o título espanhol da temporada com o Barcelona, que acabou campeão, o que sugere que ambos são vulneráveis, pois perderam pontos preciosos para times de menor expressão no campeonato nacional. Nas entrevistas que concederam nesta sexta-feira, dia 27, os treinadores deixaram transparecer algum receio. Simeone afirmou, um tanto preocupado, que “não se pode dar espaço ao Real”. E Zidane, como se antecipasse uma desculpa para a derrota, disse que “num jogo de futebol pode acontecer qualquer coisa”.

As cartas estão na mesa. Pois agora escolha um dos lados e torça para valer. .

 

CURIOSIDADES DA LIGA DOS CAMPEÕES

Campanha do Atlético de Madrid 2016

2 x 0 (fora) e 2 x 0 (casa) Galatasaray / Turquia – fase de grupos

1 x 2 (casa) 2 x 1 (fora) Benfica / Portugal – fase de grupos

4 x 0 (casa) e 0 x 0 (fora Astana / Cazaquistão – fase de grupos

0 x 0 (fora) e 0 x 0 – 8 x 7 pênaltis (casa) PSV Eindhoven / Holanda – oitavas de final

1 x 2 (fora) e 2 x 0 (casa) Barcelona / Espanha – quartas de final

1 x 0 (Casa) e 1 x 2 (fora) Bayern Munique / Alemanha – semifinais

 

Campanha do Real Madrid 2016

4 x 0 (casa) e 4 x 3 (fora) Shakhtar Donetsk / Ucrânia – fase de grupos

2 x 0 (fora) e 8 x 0 (casa) Malmö / Suécia – fase de grupos

0 x 2 (fora e 3 x 0 (casa) Wolfsburg / Alemanha – oitavas de final

2 x 0 (fora) e 2 x 0 (casa) Roma / Itália – quartas de final

0 x 0 (fora) e 1 x 0 (casa) Manchester City / Inglaterra – semifinais

 

Nacionalidades dos elencos na decisão de 2016

– Espanha – 36

– França – 4

– Argentina, Brasil e Portugal – 3

– Bélgica, Croácia, Gana e Uruguai – 2

– Alemanha, Áustria, Colômbia, Costa Rica, Eslovênia, Gales, Guiné Equatorial, Montenegro e Noruega – 1

 

Os 22 campeões e seus títulos

– Real Madrid / Espanha – 10

– Milan / Itália – 7

– Barcelona / Espanha, Bayern Munique / Alemanha e Liverpool / Inglaterra – 3

– Ajax / Holanda – 4

– Internazionale / Itália e Manchester United / Inglaterra – 3

– Benfica / Portugal, Juventus / Itália, Nottingham Forest / Inglaterra e Porto / Portugal – 2

– Aston Villa / Inglaterra, Borussia Dortmund / Alemanha, Celtic / Escócia, Chelsea / Inglaterra, Estrela Vermelha / Iugoslávia, Feyenoord / Holanda, Hamburgo / Alemanha, Olympique Marseille / França, PSV Eindhoven / Holanda e Steaua / Romênia – 1

 

Mais vezes finalistas

– Real Madrid / Espanha – 13

– Milan / Itália – 12

– Bayern Munique / Alemanha – 10

– Juventus / Itália – 8

– Barcelona / Espanha, Benfica / Portugal e Liverpool / Inglaterra – 7

– Ajax / Holanda – 6

– Internazionale / Itália e Manchester United / Inglaterra – 5

 

Número de títulos por países

– Espanha – 15

– Inglaterra e Itália – 12

– Alemanha – 7

– Holanda – 6

– Portugal – 4

– Escócia, França, Iugoslávia e Romênia – 1

 

Maiores zebras da história

– Hibernian / Escócia – semifinal em 1956 (perdeu para o Satde Reims)

– Young Boys / Suíça – semifinal em 1959 (perdeu para o Stade Reims)

– Eintracht Frankfurt / Alemanha – final em 1960 (perdeu para o Real Madrid)

– Spartak Trnava / Tchecoslováquia – semifinal em 1969 (perdeu para o Ajax)

– Panathinaikos / Grécia – final em 1971 (perdeu para o Ajax)

– FC Brugge / Bélgica – final em 1978 (perdeu para o Liverpool)

– Malmö / Suécia – final em 1979 (perdeu para o Nottingham Forest)

– Dundee United / Escócia – semifinal em 1984 (perdeu para o Liverpool)

– Monaco / França – final em 2004 (perdeu para o Porto)

– Villarreal / Espanha – semifinal em 2006 (perdeu para o Arsenal)