Vejam só: o maior público da Eurocopa foi o de 75.113 espectadores, na vitória da França, 2 a 1 sobre a Romênia, em Saint Denis. E o da competição sul-americana o de 83.263, México 2 a 0 na Jamaica, em Pasadena

Há no Brasil uma tendência para desprezar a Copa América e enaltecer a Eurocopa. Procedimento de país colonizado. Em várias ocasiões, mencionar a proximidade do torneio sul-americano provocava bocejos. Mas o atual tem sido muito mais interessante que o europeu. Palavra de quem está acompanhando ambas com muita atenção.

Parece que há uma diferença básica entre as duas. Na competição do Velho Continente há uma briga pelos quatro melhores terceiros colocados, o que faz que várias equipes, principalmente as do segundo escalão, é claro, jogarem pelo regulamento, amarrem retrancas, daí a média de 1,82 gols por jogo.

Na Copa América praticamente nenhuma seleção jogou para trás. Algumas tentaram priorizar a defesa para segurar uma vantagem alcançada, mas foram raras as ocasiões em que as equipes já começaram as partidas retrancadas. O fato de o torneio ser disputado nos Estados Unidos é fator importante, pois os torcedores compareceram efetivamente aos estádios, levando incentivo aos jogadores.

Vejam só: o maior público da Eurocopa foi o de 75.113 espectadores, na vitória da França, 2 a 1 sobre a Romênia, em Saint Denis. E o da competição sul-americana o de 83.263, México 2 a 0 na Jamaica, em Pasadena. A partida entre Colômbia e Peru, 0 a 0 East Rutherford, reuniu 79.194 pessoas. Daí também a média de gols de 3 por jogo, quase o dobro do campeonato que está sendo realizado na França.

Pois é. A Eurocopa teve quatro resultados de 0 a 0 e seis de 1 a 0. O maior placar foi de 3 a 0. A Copa América ficou com dois 0 a 0 e cinco 1 a 0. E teve 7 a 0, 7 a 1, 5 a 0, e duas vezes 4 a 0. Um parêntese: alguém dirá que a assistência na França também é grande, média até um pouco superior – 45.547 – ao que se registra no torneio norte-americano, que é de 44.518. Mas na Europa, continente rico, ora essa, isso não é novidade. Um país da América do Sul não levaria tanta gente. A grana é curta.

De qualquer forma, as duas copas estão interessantes. Mas jogos de ataque contra defesa nem sempre são agradáveis de ver.