Panamá e Bolívia, acreditem, fizeram uma boa partida em Orlando, na Flórida. E o time da Concacaf – em sua primeira participação na história da Copa América – venceu por 2 a 1, gols do veterano Blas Perez, 35 anos, contra um de Juan Carlos Arce, velho conhecido do futebol brasileiro – jogou na Portuguesa, no Corinthians e no Sport Recife. Não foi, é claro, um primor de técnica, mas o duelo prendeu a atenção de todos até o final.

O Panamá começou voando, e após 10 minutos de pressão, abriu o placar. Quintero tomou a bola de Azogue, e cruzou da esquerda para Perez, que escorou de primeira, à direita de Lampe. A equipe dirigida pelo colombiano Hernán Dario Gomez continuou controlando a partida, mas aos poucos diminuiu o ritmo, e por volta dos 20 inexplicavelmente recuou, para explorar os contra-ataques, permitindo que a Bolívia crescesse, criando pelo menos duas boas oportunidades, a melhor numa cabeçada de Arce, para defesa de Penedo.

O Panamá manteve a postura no início do segundo tempo, e acabou sofrendo o empate aos oito minutos, sob chuva intensa, que tornava o espetáculo dramático. Cummings rebateu, após falta cobrada por Smedberg-Dalence, e Arce apanhou a sobra para chutar forte de primeira: 1 a 1.

Daí em diante, o jogo ficou equilibrado, lá e cá. Duk desperdiçou a chance para virar, aos 13. Entrou livre na área, demorou a finalizar, e acabou desarmado por Cummings. Na realidade, o time da Concacaf é superior no individual, no coletivo e no aspecto físico, com ótima movimentação, mas a Bolívia do técnico Jélio César Baldivieso brigava por cada palmo do campo, o que tornava o resultado imprevisível.

Aos 39, Tejera, sem marcação, chutou por cima com a baliza escancarada. Aos 41, no entanto, Arroyo foi à linha de fundo, tirou Cabrera da jogada, e rolou para Perez concluir de primeira: 2 a 1. O time verde e branco ainda tentou uma nova igualdade, mas a zaga panamenha, com os chutões de praxe, conseguiu segurar a vitória.

 

PANAMÁ 2 x 1 BOLÍVIA

Data: Segunda-feira, 6 de junho de 2016.

Local: Camping World Stadium / Citrus Bowl, em Orlando / Flórida.

Público: 13.466 espectadores.

Arbitragem: Ricardo José Montero Araya, Octavio Roberto Jara Carballo e Juan Carlos Mora Araya / Costa Rica.

Gols: Blas Perez 10’ e 86’ e Juan Carlos Arce 53’.

PANAMÁ: Jaime Penedo, Adolfo Machado, Felipe Baloy, Harold Cummings (Luis Alfonso Enriquez 63’) e Roderick Miller; Gabriel Gomez, Anibal Godoy, Armando Cooper (Abdiel Arroyo 74’) e Alberto Quintero; Blas Perez e Gabriel Torres (Luis Tejada 56’). Técnico: Hernán Dario Gomez (Colômbia).

BOLÍVIA: Carlos Lampe, Diego Bejarano, Nelson Cabrera, Marvín Bejarano e Martín Smedberg-Dalence; Ronald Eguino (Alejandro Melean – intervalo), Edward Zenteno, Pedro Azogue e Fernando Saucedo (Jhasmani Campos – intervalo); Juan Carlos Arce e Yasmani Duk (Rodrigo Ramallo 85’). Técnico: Júlio César Baldivieso.