O Brasil venceu 10 das 15 partidas que disputou contra o Peru na história da Copa América. O adversário venceu duas vezes, uma por 1 a 0, em 1953, jogando em casa, e outra por 3 a 1, em 1975, no Mineirão. O primeiro confronto ocorreu em 1936, válido pelo torneio de 1937, e a Seleção, com a base que conquistaria o terceiro lugar no Mundial de 1938, na França, ganhou por 3 a 2. No último encontro, em 2015, outra vitória apertada, 2 a 1, em Temuco, no Chile.

O triunfo mais importante do Brasil aconteceu nas semifinais de 1997, na Bolívia: 7 a 0. Na decisão, o time dirigido por Zagallo derrotou os anfitriões por 3 a 1, e levantou o título fora de casa pela primeira vez na história da competição. Após o jogo, o treinador verde e amarelo bradou. “Vocês vão ter que me engolir”.

A maior vitória do Peru foi a de 1975. Naquele ano, a Copa América não teve sede fixa. E o Brasil disputou com uma equipe alternativa, formada basicamente por craques de Minas Gerais. Curiosamente, na volta das semifinais, em Lima, o time treinado por Oswaldo Brandão ganhou por 2 a 0. Mas o Peru foi à decisão, venceu a Colômbia por 1 a 0, em campo neutro – Caracas / Venezuela – e foi o campeão. Naquele ano, pela primeira vez o Campeonato Sul-Americano passou a ser chamado de Copa América.

A vitória de 3 a 1 no Mineirão acabou sendo a última dos peruanos sobre o Brasil no torneio. Desde então, ocorreram sete jogos. A Seleção ganhou cinco, marcando 15 gols e levando apenas um, e ocorreram dois empates. Veja abaixo dois times com os melhores jogadores de Brasil e de Peru que participaram do confronto.

 

BRASIL: Taffarel (89, 93 e 97), Djalma Santos (53, 56 e 57), Aldair (89), Domingos da Guia (42) e Nílton Santos (53 e 59); Zito (59), Didi (57 e 59), Zizinho (42, 49, 53 e 57) e Neymar (15); Romário (89 e 97) e Pelé (59). Técnico: Zagallo (95 e 97).

PERU: Rafael Asca (53), Jorge Soto (95 e 01), Guillermo Delgado (53, 56 e 57), Héctor Chumpitaz (75) e Martín Hidalgo (97 e 01); José Del Solar (89, 93 e 95), Luis Calderón (49, 53, 56 e 57), Júlio César Uribe (89) e Teofilo Cubillas (75); Lolo Fernandez (36 e 42) e Paolo Guerrero (15). Técnico: Marcos Calderón (75).

 

Os 15 jogos do duelo na Copa América

# 1) Brasil 3 a 2 (27/12/36 – La Bombonera – Buenos Aires / Argentina – Afonsinho, Niginho e Roberto Emílio / Adelfo Villanueva e Lolo Fernandez)

# 2) Brasil 2 a 1 (21/1/42 – Centenário – Montevidéu / Uruguai – Pedro Amorim 2 / Lolo Fernandez

# 3) Brasil 7 a 1 (24/4/49 – São Januário – Rio de Janeiro / Brasil – Arce-contra, Ademir Menezes, Augusto, Jair Rosa Pinto 2, Orlando Pingo de Ouro e Simão / Juan Salinas)

# 4) Peru 1 a 0 (19/3/53 – Nacional – Lima / Peru – Luis Navarrete)

# 5) Brasil 2 a 1 (1/2/56 – Centenário – Montevidéu / Uruguai – Álvaro e Zezinho / Roberto Drago)

# 6) Brasil 1 a 0 (31/3/57 – Nacional – Lima / Peru – Didi)

# 7) 2 a 2 (10/3/59 – Monumental – Buenos Aires / Argentina – Didi e Pelé / Juan Seminario 2)

# 8) Peru 3 a 1 (30/9/75 – Mineirão – Belo Horizonte / Brasil – Roberto Batata / Enrique Casaretto 2 e Teófilo Cubillas)

# 9) Brasil 2 a 0 (4/10/75 – Alejandro Villanueva – Lima / Peru – Julio Melendez-contra e Campos)

# 10) 0 a 0 (3/7/89 – Fonte Nova – Salvador / Brasil)

# 11) 0 a 0 (18/6/93 – Alejandro Serrano Aguillar – Cuenca / Equador)

# 12) Brasil 2 a 0 (2/7/95 – Atilio Paiva Oliveira – Rivera / Uruguai – Edmundo e Zinho)

# 13) Brasil 7 a 0 (26/6/97 – Ramon Tahuichi Aguillera – Santa Cruz de La Sierra / Bolívia – Denílson, Djalminha, Flávio Conceição, Leonardo 2 e Romário 2)

# 14) Brasil 2 a 0 (15/7/01 – Pascual Guerrero – Cali / Colômbia – Denílson e Guilherme)

# 15) Brasil 2 a 1 (15/6/15 – Temuco / Chile – Douglas Costa e Neymar / Christian Cueva)

 

Números em detalhes

– Jogos: 15

– Vitórias do Brasil: 10

– Vitórias do Brasil em casa: 1

– Vitórias do Brasil fora: 2

– Vitórias do Brasil em campo neutro: 7

– Vitórias do Peru: 2

– Vitórias do Peru em casa: 1

– Vitórias do Peru fora: 1

– Vitórias do Brasil em campo neutro: 0

– Empates: 3

– Empates no Brasil: 1

– Empates no Peru: 0

– Empates em campo neutro: 2

– Total de gols: 44

– Média geral de gols por jogo: 2,9

– Gols do Brasil: 33

– Gols do Brasil em casa: 8

– Gols do Brasil fora: 3

– Gols do Brasil em campo neutro: 22

– Média de gols do Brasil: 2,2

– Gols do Peru: 11

– Gols do Peru em casa: 1

– Gols do Peru fora: 4

– Gols do Peru em campo neutro: 6

– Média de gols do Peru: 0,7

– Melhor resultado do Brasil em casa: 7 a 1 (24/4/9)

– Melhor resultado do Brasil fora: 2 a 0 (4/10/75)

– Melhor resultado do Brasil em campo neutro: 7 a 0 (26/6/97)

– Melhor resultado do Peru em casa: 1 a 0 (19/3/53)

– Melhor resultado do Peru fora: 3 a 1 (30/9/75)

– Melhor resultado do Peru em campo neutro: 0 a 0 (18/6/93)

– Artilheiros do Brasil: Denílson, Didi, Jair Rosa Pinto, Leonardo, Pedro Amorim e Romário (2 gols)

– Artilheiros do Peru: Enrique Casaretto, Juan Seminario e Lolo Fernandez (2 gols)

– Estádio com maior número de jogos: Centenário – Montevidéu / Uruguai e Nacional – Lima / Peru (2)

– Títulos: Brasil (1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004 e 2007) e Peru (1939 e 1975)