O Chile garantiu a vaga na próxima fase da Copa América Centenário – enfrenta o México, sábado, 18, em Santa Clara – ao derrotar o Panamá por 4 x 2, de virada, num jogo em que só corre riscos enquanto o adversário vencia por 1 a 0, nada além. Penedo fez pelo menos seis defesas difíceis. E é pouco provável que continue atuando no Saprissa, da Costa Rica, após o torneio.

O Chile já começou tentando liquidar o adversário, e acabou tomando um gol aos cinco minutos: Camargo chutou de longe, e Bravo, o goleiro titular do Barcelona, engoliu um frango formidável. Como toda equipe mais frágil faz, o Panamá recuou, acreditando que poderia segurar o resultado, com tanto jogo pela frente, e sofreu o empate, aos 14. Vidal e Sanchez entraram na área tabelando, o atacante do Arsenal concluiu, Penedo deu rebote, e Vargas, que acompanhava o lance, só empurrou para dentro.

Daí até o intervalo foi um massacre. Penedo praticou várias intervenções, uma delas espetacular, aos 21, na finalização de Vidal. Aos 42, no entanto, não deu para o goleiro fazer milagre. Beausejour cruzou na medida para Vargas cabecear à esquerda: 2 a 1.

O Panamá trocou a dupla de ataque para a etapa derradeira. O objetivo era o de dar maior velocidade ao time, o que de fato viria a ocorrer. O problema da seleção da América Central é que logo aos quatro minutos Vargas ganhou duas divididas na área e levantou para Sanchez, que mandou um pancadão de primeira, sem chance para Penedo: 3 a 1.

Até que Arroyo e Torres, que substituíram Nurse e Tejada, bem mais lentos, aprontaram algumas, perturbando a defesa chilena. Mas a possibilidade de reação, com tanta desvantagem no placar, era impraticável, tal a diferença de categoria entre as equipes. Aos 29, Arroyo – olha ele aí – apanhou uma sobra na área e testou no canto direito de Bravo, que se atrapalhou todo, colocando a bola para dentro: 3 a 2. O Chile seguiu martelando e ampliou aos 44, com outro gol de Sanchez, cabeceando à direita de Penedo.

Mas o Panamá, ali, já havia jogado a toalha. E creiam: foi uma ótima partida.

 

CHILE 4 x 2 PANAMÁ

Data: Terça-feira, 10 de junho de 2016.

Local: Lincoln Financial Field, na Filadélfia / Filadélfia.

Arbitragem: Roddy Alberto Zambrano Olmedo, Byron Romero e Luis Geovanny Vera Mantuano / Equador.

Gols: Miguel Camargo 5’, Eduardo Vargas 14’ e 42, Alexis Sanchez 49’ e  e Abdiel Arroyo 74.

CHILE: Claudio Bravo, Mauricio Isla, Gary Medel (Enzo Roco 89’), Gonzalo Jara e Jean Beausejour (Edson Puch 59’); Marcelo Díaz, Charles Aranguíz, Arturo Vidal (Pablo Hernandez 89’) e José Fuenzalida; Alexis Sanchez e Eduardo Vargas. Técnico: Juan Antonio Pizzi (Argentina).

PANAMÁ: Jaime Penedo, Adolfo Machado, Haroldo Cummings Luis Alfonso Enriquez e Roderick Miller; Gabriel Gomez, Miguel Camargo, Amilcar Henriquez e Alberto Quintero (Ricardo Buitrago 70’); Roberto Nurse (Gabriel Torres – intervalo) e Luis Tejada (Abdiel Arroyo – intervalo). Técnico: Hernán Dario Gomez (Colômbia).