O Flamengo venceu o Santa Cruz no Recife pela primeira vez desde 19 de novembro de 1986, quando também fez 1 a 0 pelo Brasileiro. Se aquele reuniu vários craques, o duelo de hoje foi medíocre. No frigir dos ovos, como se dizia antigamente, digamos que o time do Rio foi o menos incompetente, pois pelo menos conseguiu marcar um gol, mesmo sem produzir muito algo além disso. Diante do futebol sofrível que se viu, de ambos os lados, os times continuarão disputando o Brasileiro apenas para sobreviver na Série A.

O Santa Cruz criou três boas oportunidades nos primeiros 10 minutos, duas com Keno, e a mais flagrante com Grafite, que livre na marca do pênalti chutou em cima de Alex Muralha. Aos 14, Alan Patrick rolou para William Arão, que sem opção, mandou a pancada da intermediária, abrindo o placar, na falha de Tiago Cardoso. Grafite ainda perdeu outra, aos 19, travado por Rafael Vaz no momento da conclusão.

O time pernambucano diminuiu o ritmo, e o Flamengo enfim equilibrou o jogo, embora sua defesa continuasse confusa, permitindo que o adversário, notadamente ele, Grafite, tivesse liberdade para finalizar, como fez mais uma vez aos 37, para outra boa intervenção do goleiro.

Com a vantagem, a equipe carioca tentava cadenciar a partida, mas dificilmente atravessava o meio do campo, levando o Santa a tomar a bola e forçar dribles e finalizações. Aos 46, Grafite cabeceou, a bola desviou em Réver e saiu rente à trave esquerda. Um empate, até ali, seria um resultado muito mais justo, tanto que a torcida cobra-coral, apenas pelo esforço, aplaudiu a saída do time.

Não houve mudança após o intervalo. O Flamengo atrás, apostando em contra-ataques, esbarrando com facilidade na retaguarda pernambucana. Aos 12, Zé Ricardo Mannarino troca Felipe Vizeu por Cuellar, indicando que estava assumindo a retranca. Na realidade, decorridos 65 minutos, as limitações do Santa também começam a ficar flagrantes, pois não conseguia superar o ferrolho rubro-negro, e é claro, criar chances efetivas de gol.

A mesmice foi quebrada enfim aos 29. Cuellar errou na saída, Wallyson aproveitou e cruzou para Grafite, que mandou de carrinho em cima de Alex Muralha. Restando cinco minutos, o Santa foi para cima, e o Flamengo, como time pequeno, rezava para uma bola vadia não roubar-lhe os três pontos. O que não aconteceu.

 

FLAMENGO 1 x 0 SANTA CRUZ / PE

Data: Quarta-feira, 22 de junho de 2016.

Competição: Campeonato Brasileiro / 10ª rodada.

Local: Estádio José do Rego Maciel / Arruda, em Recife / PE.

Arbitragem: Wagner Reway / MT, Eduardo Gonçalves da Cruz / MS e Fábio Rodrigo Rubinho / MT.

Gol: William Arão 14’.

FLAMENGO: Alex Muralha, Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, William Arão, Alan Patrick (Mancuello 75’) e Éverton (Fernandinho 86’); Marcelo Cirino e Felipe Vizeu (Cuellar 57’). Técnico: José Ricardo Mannarino.

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso, Vitor, Allan Vieira, Danny Morais e Tiago Costa (Roberto 66’); Daniel Costa (Lelê 53’), João Paulo e Leandrinho (Wallyson 73’); Artur, Grafite e Keno. Técnico: Mílton Mendes.