Lilian já havia exibido os seios num dos carros alegóricos da Unidos da Viradouro, e após a sua passagem pela Marquês de Sapucaí, não só entrou no camarote presidencial, como conseguiu aproximar-se de Itamar

Onde você estava no Carnaval de 1994? Pois foi aquele em que a modelo Lilian Ramos deixou-se fotografar e filmar sem calcinha ao lado do então presidente da República, Itamar Franco, no primeiro dia do desfile das escolas de samba do Rio.

Eu pertencia ao Esporte do Jornal do Brasil, mas fui emprestado à Editoria de Cidade, para colaborar como redator e no fechamento das páginas dedicadas à festa, que aliás eram muitas.

Lilian já havia exibido os seios num dos carros alegóricos da Unidos da Viradouro, e após a sua passagem pela Marquês de Sapucaí, não só entrou no camarote presidencial, como conseguiu aproximar-se de Itamar. Em dado momento, um dos profissionais que trabalhavam na pista percebeu que a moça mostrava a “perseguida”, e em pouco tempo todos correram para obter as imagens inusitadas.

A Imperatriz Leopoldinense foi a campeã daquele ano, com o enredo “Catarina de Médicis”, obedecendo ao que chamavam de “desfile técnico”, que só conseguiu empolgar o povo de Ramos e adjacências.

Logo, a nudez da modelo acabou sendo o fato mais comentado da folia daquele ano. A exemplo dos seus colegas, o fotógrafo Josemar Gonçalves, do JB, fez um punhado de registros da insólita situação, incluindo algumas em que o objeto de desejo da moça aparecia com evidência.

Mas como a façanha ocorreu na madrugada de domingo para segunda-feira, os jornais só puderam publicá-las na edição de terça. Naquela época, não existia internet, nem recursos tecnológicos que permitissem a configuração do material em com putadores. Assim, após o processo de revelação, as fotos eram espalhadas num mesão, para que fosse possível escolher quais seriam aproveitadas.

Eis que de repente surgiu a dúvida cruel: utilizar ou não as imagens em que Lilian exibia o seu mais valoroso dote? Houve um breve debate. “O JB é um jornal de orientação católica”, defendiam uns. “É apelação demais. Não temos disso”, diziam outros. “Mas os concorrentes vão mostrar”, comentavam os mais, digamos, libertinos.

O ideal seria entrar em contato com o proprietário do jornal. Mas onde ele estaria naquele momento? Em alguma ilha paradisíaca. Não existia celular. No fim, a turma conservadora ganhou a parada. Minha opinião valia pouco, pois eu era de outra editoria. Mas fui voto vencido.

jb 15-02-1994jb 15-02-1994 - detalhe1O JB publicou três fotos de Itamar, uma com a cantora Nana Caymmi, outra com a apresentadora de TV Marília Gabriela, e a terceira, um tanto discreta do presidente com Lilian, na qual mal se notava que a coisa peluda da modelo estava exposta. Os concorrentes escancararam.

O que se passou na Editoria de Cidade, nos dias que se seguiram, não sei exatamente. Sequer trabalhei na quarta de cinzas. Mas continuo acreditando que foi vacilo a omissão da foto em todo o seu esplendor.