O Flamengo não fez mais que a sua obrigação ao vencer por 2 a 1 o América-MG, lanterna do Brasileiro, que entrou em campo com 11 derrotas, seis consecutivas, saldo de 18 gols negativos, e que não marcava desde 18 de junho. Nos 10 minutos derradeiros, o time de BH esteve próximo do empate.

E ainda há quem tenha a coragem de afirmar que o Rubro-Negro – efetivamente instável sob o ponto de vista emocional – briga por título. O que se pode afirmar – no mundo real – é que de acordo com os cálculos dos matemáticos faltam 18 pontos para o Flamengo prosseguir na Série A.

O jogo já começou com o duelo entre uma linha de frente medíocre, com muitas dificuldades para superar uma defesa que permaneceu fechada, sem ser incomodada, mas que acabou se mostrando frágil depois de meia hora, quando o Flamengo enfim criou duas chances, em chute de Alan Patrick e em cabeçada de Guerreiro, que morreram nas mãos de João Ricardo.

Este quadro só ocorreu porque o América percebeu, nos 15 minutos finais, que poderia explorar os contra-ataques com maior freqüência, aproveitando as falhas habituais da zaga rubro-negra. Na prática, a melhor oportunidade do primeiro tempo foi desperdiçada por Gílson, que entrou livre na área e concluiu para intervenção providencial de Alex Muralha. Para completar, Réver quase faz contra. Vale destacar também que Guerreiro sofreu um pênalti – puxão de Alison pela camisa – que o árbitro não viu.

Não houve diferença entre o começo da etapa derradeira e a inicial. Tanto que aos sete minutos, em saída veloz, Bruno Teles bateu no cantinho direito, para ótima defesa de Alex Muralha. O Flamengo, notadamente Fernandinho, que é um horror, continuou atrapalhado, até que aos 10, Pará cruzou com precisão para Guerreiro bater de primeira, à esquerda: 1 a 0. Aos 14, Mancuello deu de calcanhar, a bola bateu no braço de Roger, e Alan Patrick cobrou o pênalti para fazer 2 a 0. O Flamengo, como dito, parou. Aos 32, Danilo cruzou, e Juninho, no meio da área, encobriu o goleiro: 2 a 1. O time não fazia gol desde a vitória de 2 a 1 sobre o Coritiba, lá se vão 37 dias.

Nos últimos 10 minutos, com o estádio já calado, de tal a apreensão, a equipe de Zé Ricardo não conseguiu manter a posse da bola. Uma tristeza. Mas o Espírito Santo, desta vez, olhou para o treinador. Coritiba e Santos pelo caminho. Valha-me deus…

 

42º jogo

FLAMENGO 2 x 1 AMÉRICA / MG

Data: Segunda-feira, 25 de julho de 2016.

Competição: Campeonato Brasileiro / 16ª rodada.

Local: Estádio Municipal Kléber José de Andrade, em Cariacica / ES.

Público: 16.523 espectadores.

Arbitragem: Rodrigo Batista Raposo / DF, Carlos Berkenbrock / SC e Kléber Lúcio Gil / SC.

Gols: Guerreiro 55’, Alan Patrick 59’ (pên) e Juninho 77’.

FLAMENGO: Alex Muralha, Pará, Réver, Juan e Chiquinho (Rafael Vaz 72’); Márcio Araújo, Mancuello, William Arão e Alan Patrick (Adryan 86’); Fernandinho (Gabriel 78’) e Guerrero. Técnico: José Ricardo Mannarino.

AMÉRICA: João Ricardo, Pablo, Alison, Roger e Bruno Teles (Danilo 72’); Leandro Guerreiro, Juninho, Alan Mineiro (Claudinei 62’) e Osman; Gílson e Victor Rangel (Michael 62’). Técnico: Enderson Moreira.

 

Foto: Divulgação Flamengo