A Inter iniciou o Paulista de 1986 tentando superar a morte do zagueiro Zezinho Figueroa, 33 anos, que sofreu um enfarte do miocárdio num treino. E na estréia, acreditem, perdeu por 3 a 1 para o Palmeiras, no Parque Antártica.

Faz 30 anos que o interior conquistou pela primeira vez o Campeonato Paulista. Na noite de quarta-feira, 3 de setembro de 1986, a Associação Atlética Internacional, fundada em 1913, venceu o Palmeiras por 2 a 1, em pleno Morumbi, levando o título para Limeira, a 160km da capital.

O torneio foi disputado por 20 clubes, jogando todos contra todos, em dois turnos. Os vencedores de cada um e os dois clubes que mais pontuaram fizeram as semifinais. A Inter chegou apenas em sexto lugar no primeiro turno. Mas ganhou o segundo. Nas semifinais, a Inter despachou o Santos, com 2 a 0 e 2 a 1, enquanto o Palmeiras eliminava o Corinthians, com derrota de 1 a 0 e vitória de 3 a 0.

A primeira partida da decisão, no dia 31 de agosto, acabou em 0 a 0. Na segunda, a Inter foi corajosa para atacar na etapa final, marcando dois gols em nove minutos, com Kita e Tato, esse se aproveitando da célebre trapalhada conjunta do goleiro Martorelli e do lateral-esquerdo Denys. Amarildo descontou.

Na quinta-feira, dia 4, enquanto os alviverdes choramingavam pelos cantos, jogadores e dirigentes da Inter desfilavam triunfalmente por Limeira em carro aberto do Corpo de Bombeiros, em homenagem organizada pelo prefeito Jurandyr Paixão (PMDB), então mandatário de um município com 200 mil habitantes, que ocupava o 20º lugar entre as maiores arrecadações de ICM do Estado, graças ao cultivo de frutas cítricas e às suas 700 indústrias.

A Inter iniciou o Paulista de 1986 tentando superar a morte do zagueiro Zezinho Figueroa, 33 anos, que sofreu um enfarte do miocárdio num treino. E na estréia, acreditem, perdeu por 3 a 1 para o Palmeiras, no Parque Antártica. Ocorreram dois tropeços nos dois últimos jogos, 2 x 1 para São Bento e para XV de Piracicaba. O saldo foi de sete vitórias, sete empates e cinco derrotas, e o time terminou em apenas em sexto lugar, com 19 pontos, a sete do campeão, o Santos. Parecia improvável que pudesse ganhar o título.

Mas a equipe começou a acertar o passo. Estreou na segunda fase goleando o próprio Peixe por 3 a 0, em Limeira. Ganhou o turno com 11 vitórias, seis empates e duas derrotas, nas duas partidas derradeiras, para Corinthians (1 a 0) e São Paulo (5 a 1), ambas na capital. Ali deixou novamente a impressão de que não teria fôlego para encarar os grandes na hora da verdade. Mas o time agigantou-se, e mesmo sem ter o direito de disputar jogos em casa superou Santos e depois Palmeiras para chegar ao título.

Depois da Inter, outros dois clubes do interior e um da região do ABC, na Grande São Paulo, ganharam o Campeonato Paulista: o Bragantino em 1990, o Ituano em 2002 e em 2015, e o São Caetano em 2004.

A Inter conquistou o título vencendo o Palmeiras por 2 a 1 com Silas, João Luís, Juarez, Bolívar, Pecos, Manguinha, Gilberto Costa, João Batista (Alves), Tato, Kita e Lê (Carlos Silva). O Palmeiras perdeu com Martorelli, Diogo (Ditinho), Márcio, Amarildo, Denys, Lino (Mendonça), Gérson Caçapa, Jorginho, Edmar, Mirandinha e Éder. O técnico era José Luís Carbone. A partida foi dirigida por Dulcídio Wanderley Boschilla. O jogo levou público de 78.764 pagantes ao Morumbi. Marcaram os gols Kita aos 5 minutos, Tato aos 9 e Amarildo aos 29, todos no segundo tempo.

O presidente da Inter era Vitório Marchesini e o técnico José Macia, o Pepe, ex-ponta do Santos nos tempos áureos de Pelé. O artilheiro da Inter e do campeonato foi João Lethardt Neto, o Kita, com 23 gols, seguido por Mirandinha (Palmeiras) e Serginho Chulapa (Santos), com 18 cada. O título paulista de 1986 não garantiu a presença da Inter na Série A do Brasileiro.

O time de Limeira só ganhou o direito de participar da elite nacional em 1989, após conquistar a Série B do Brasileiro de 1988, superando 23 clubes, entre esses o Náutico, por 2 a 1, na decisão. A Inter conquistou outros títulos: Brasileiro Série B (1988), Paulista Série A-2 (1978, 1996 e 2004) e Paulista Série A-3 (1966). Está atualmente na Série A-3 do Campeonato Paulista.

 

A longa trajetória

Primeira fase

1 x 1 e 0 x 0 América

2 x 1 e 1 x 1 Botafogo

2 x 2 e 1 x 0 Comercial

1 x 1 e 0 x 1 Corinthians

2 x 1 e 2 x 0 Ferroviária

0 x 0 e 1 x 0 Guarani

2 x 0 e 0 x 0 Juventus

1 x 0 e 0 x 0 Mogi Mirim

0 x 1 e 4 x 1 Novorizontino

1 x 3 e 1 x 0 Palmeiras

4 x 0 e 2 x 3 Paulista

1 x 1 e 1 x 1 Ponte Preta

3 x 1 e 2 x 1 Portuguesa

1 x 1 e 1 x 0 Santo André

0 x 1 e 3 x 0 Santos

1 x 2 e 0 x 0 São Bento

0 x 0 e 1 x 5 São Paulo

2 x 0 e 2 x 1 XV Jau

1 x 2 e 5 x 0 XV Piracicaba

 

Semifinais

2 x 0 e 2 x 1 Santos

 

Finais

0 x 0 e 2 x 1 Palmeiras

 

Total

Jogos – 42

Vitórias – 21

Empates – 14

Derrotas – 7

Gols pró – 59

Média – 1,40

Gols contra – 33

Média – 0,78

 

Os campeões

Marcus e Silas (goleiros), Donizetti, João Luiz, Paulo Omar e Pecos (laterais), Alves, Bolivar, Juarez e Vílson Cavalo (zagueiros), Carlinhos, Carlos Silva, Claudinei, Cléber, Gilberto Costa, João Batista, Lê, Manguinha, Mirandinha e Tonho  (apoiadores) e Cléber, Gatãozinho, Gilcimar, Gílson, Kita e Ronaldo (atacantes).

 

Foto: reprodução da internet