O Fluminense cumpriu talvez a sua melhor atuação no Brasileiro, derrotando o Atlético-MG por 4 a 2, de virada, em Mesquita, em noite inspirada de Magno Alves – que deu passes para três gols e sofre a falta que deu origem ao terceiro – com o auxílio luxuoso de Gustavo Scarpa, que anotou uma vez e jamais deu sossego ao adversário. E com a força da galera, incansável, do começo ao fim.

O clube das Laranjeiras chegou aos 37 pontos, e ao sétimo lugar – perde do Grêmio no número de gols marcados – e o Alvinegro continua no G-4, as com a distância indesejável de Palmeiras e Flamengo.

Logo aos três minutos, Cícero empurrou Maicossuel na área, e o árbitro ignorou a falta. Daí em diante, o Fluminense tomou as rédeas da partida, e pouco depois, aos seis, Edcarlos derrubou Marcos Júnior, e como se fosse uma recompensa, o goiano Eduardo Tomaz Valadão também não assinalou o pênalti. E o Tricolor continuou pressionando. O Galo não conseguia sair de trás.

Até que aos 27, Maicossuel fez passe longo para Robinho, que aparou e bateu, abrindo o placar. Na sequência, o time carioca massacrou, chutando de todas as distâncias, bolas que passaram próximas das traves de Victor. No fim, o Atlético iniciou breve reação, graças a uma maior movimentação de seus homens de frente. Aos 43, Maicossuel, sentindo a coxa esquerda, deu lugar a Júnior Urso. Fred, marcado pela torcida, muito presente, e quem sabe desconfortável diante da situação, não viu a cor da bola.

O Fluminense voltou para a etapa derradeira com Magno Alves no lugar de Danilinho, figura inútil, até então. E o Alvinegro com Otero substituindo Pois aos três minutos, Magno Alves rolou para Douglas pôr justiça no placar: 1 a 1. O Atlético permaneceu atrás, certo de que poderia liquidar num contra-ataque, como ocorreu no primeiro tempo.

E o Tricolor voltou a pressionar. Aos 26, Levir Culpi mexeu por atacado, lançando Maranhão e Marquinho, sacando respectivamente Wellington e Marcos Júnior. Aos 27, Magno Alves deixou Marquinho à vontade na cara de Victor, e o meia bateu firme, virando o placar: 2 a 1. O Galo parecia anestesiado. Aos 32, Edcarlos acertou Magno Alves com violência – deveria ter sido expulso – e Gustavo Scarpa cobrou a falta com categoria no ângulo direito: 3 a 1.

A reação mineira passou a ser improvável. Aos 43, Robinho levantou, Lucas Pratto cabeceou, e Otero diminuiu: 3 a 2. Nos acréscimos, Magno Alves cortou ataque do Galo e fez Maranhão correr o suficiente para superar Edcarlos e bater na saída de Victor: 4 a 2. Noite de festa na Baixada.

 

FLUMINENSE 4 x 2 ATLÉTICO / MG

Data: Segunda-feira, 12 de setembro de 2016.

Competição: Campeonato Brasileiro / 24ª rodada.

Local: Estádio Giulite Coutinho / Édson Passos, em Mesquita / RJ.

Público:  pagantes /  presentes /  gratuidades.

Arbitragem: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão, Adaílton Fernando Menezes e Édson Antônio de Souza / GO.

Gols: Robinho 27’, Douglas 48’, Marquinho 72’, Gustavo Scarpa 77’, Otero 88’ e Maranhão 91’.

FLUMINENSE: Júlio César, Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Douglas, Danilinho (Magno Alves – intervalo), Cícero e Gustavo Scarpa; Wellington (Maranhão 71’) e Marcos Júnior (Marquinho 71’). Técnico: Levir Culpi.

ATLÉTICO: Vítor, Carlos César, Leonardo Silva, Edcarlos e Fábio Santos; Rafael Carioca, Lucas Cândido (Carlos Eduardo 78’), Maicossuel (Júnior Urso 43’) e Robinho; Lucas Pratto e Fred (Otero – intervalo). Técnico: Marcelo Oliveira.

 

Foto: Nelson Perez / Fluminense