O Santos fez um gol no começo, recuou por inteiro, e suportou praticamente a partida toda o placar de 1 a 0 sobre o Botafogo, que devolveu o clube paulista ao G-4. A derrota interrompeu a boa sequência do alvinegro do Rio, que havia obtido cinco vitórias nos seis últimos compromissos. Não seria absurdo afirmar que o resultado foi injusto, pois o volume de jogo, e as oportunidades a favor do Glorioso, foram bem maiores.

O Peixe fez 1 a 0 logo aos três minutos. Neílton perdeu a bola para Zeca, que avançou e bateu de fora da área, à esquerda de Sidão. O time carioca não sentiu o gol. E partiu para o ataque, pressionando por quase todo o primeiro tempo, criando várias chances, sem conseguir, no entanto, chegar ao empate. Aos 24, Gustavo Henrique quase faz contra, desviando para trás, no travessão. Aos 25, Canales testou firme, e a bola bateu na cabeça de Ricardo Oliveira, saindo para escanteio. A torcida, muito barulhenta, reclamou de pênalti nos dois lances, que efetivamente não existiram.

Não ocorreram mudanças no intervalo. Veio a etapa derradeira, e o Santos permaneceu recuado, acreditando em liquidar nos contra-ataques, até porque, como ressaltou Dorival Júnior, o Botafogo errava vez por outra ao sair de trás para frente. Mas a equipe do Rio tinha a posse da bola, e tentava de todas as formas superar a barreira do Peixe. Aos 17,  Lucas Lima lançou Ricardo Oliveira, que invadiu a área e chutou fora. Aos 18, Neílton visou o ângulo esquerdo, e acertou a rede, pelo lado de fora.

Aos 23, Jair Ventura fez Rodrigo Pimpão substituir Emerson Santos, mandando Victor Luiz para lateral-direita, e Diogo Barbosa do meio para a esquerda. E o Santos trocou Victor Ferraz, machucado, por Caju, e logo depois, Vítor Bueno por Yuri. Já no desespero, o Botafogo lançou Vinícius Tanque na vaga de Canales.

Difícil explicar porque Dudu Cearense, esgotado, continuava em campo. Aos 39, enfim, entrou Leandrinho. Inútil. O Peixe pôs mais um zagueiro, Lucas Veríssimo, e o time da casa já não mostrava forças para reagir. No finzinho, Leandrinho, meio sem jeito, concluiu fraco, e Vanderlei segurou. Pouco depois, Sidão subiu para tentar a cabeçada. O goleiro mandou uma bicicleta, e o colega do Peixe defendeu.

Os dois alvinegros voltam a jogar domingo, ambos às 18:30, o Botafogo contra o Salvador, e o Santos na Vila Belmiro, recebendo o Santa Cruz.

 

BOTAFOGO 0 x 1 SANTOS

Data: Quarta-feira, 14 de setembro de 2016.

Competição: Campeonato Brasileiro / 25ª rodada.

Local: Estádio Luso-Brasileiro / Ilha do Governador, no Rio de Janieor / RJ.

Público: 11.442 pagantes / 11.883 presentes / 461 gratuidades.

Arbitragem: Paul Schleich Volkopf, Cícero Alessandro de Souza e Marcos dos Santos Brito / MS.

Gols: Zeca 3’, .

BOTAFOGO: Sidão, Emerson Santos (Rodrigo Pimpão 68’), Renan Fonseca, Emerson Silva e Victor Luiz; Dudu Cearense (Leandrinho 84’), Diogo Barbosa, Bruno Silva e Camilo; Neílton e Canales (Vinícius Tanque 76’). Técnico: Jair Ventura.

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz (Caju 73’), David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Tiago Maia, Renato, Vítor Bueno (Yuri 78’) e Léo Lima (Lucas Veríssimo 90’); Jean Mota e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Silvestre Júnior.

 

Foto: Ivan Storti / Santos FC