A exemplo do que ocorreu no começo do ano, quando Reinaldo Rueda passou um mês mantendo suspense em relação à sua permanência no Flamengo, Renato Gaúcho disse não ao Rubro-Negro, como comunicou hoje o próprio presidente do Grêmio, Romildo Bolzani Júnior, logo após a vitória de 3 a 0 sobre o Brasil, em Pelotas, que deu ao tricolor gaúcho o título estadual.

Bolzani confirmou que o técnico recebeu de fato uma proposta, mas fez uma avaliação, e decidiu ficar em Porto Alegre, como faria aliás qualquer cidadão sensato, levando-se em conta o momento que vive o gigante do Sul. Restam cinco dias para a estreia do Flamengo no Brasileiro, contra o Vitória-BA, sábado em Salvador, e o clube, ao que tudo indica, começará a competição, cujo título persegue desde 2009, provavelmente sem uma definição. Na realidade, o mistério continua, pois há quem garanta que Cuca será contratado.

O fato é que parece uma temeridade entregar o time ao jovem Maurício Barbiéri, que pode até ser ótimo treinador, mas que ainda não tem experiência para o cargo, dado que jamais dirigiu uma equipe do porte do Flamengo, e que não passou sequer, vale lembrar, pelas divisões de base da Gávea, e ainda não teve tempo suficiente para ter uma idéia das pressão absurda que sofrerá.

Na prática, a trama de substituição do técnico, e de toda a comissão, poderia ter sido mais bem costurada, sem que fosse necessário ficar esperando por uma única resposta, em hora delicada, na qual a cobrança tem sido enorme, até pela grandeza, não só do clube, mas da sua apaixonada torcida.

Logo, o Flamengo seguirá navegando em um mar de indefinições, na semana em que estreia no Brasileiro e quando restam 10 dias para realizar a sua terceira partida na fase de grupos da Libertadores. A novela continua. Quais serão os próximos capítulos?