O Flamengo cometeu excesso de firulas no primeiro tempo, quando fez 1 a 0 e poderia ter marcado mais gols, recuou na fase derradeira, e sofreu meia hora após o intervalo, mas derrotou o Fluminense por 2 a 0 em Brasília, chegando aos 23 pontos, ampliando a vantagem na liderança do Brasileiro.

Pode até não ter sido um Fla-Flu riquíssimo em técnica, mas foi uma partida de bom nível, definida quando restavam cerca de 15 minutos para o final. Apesar disso, vale dizer que se o Rubro-Negro tivesse jogado de forma absolutamente objetiva, como o fez ao chegar ao segundo gol, poderia ter evitado fortes emoções até Felipe Vizeu colocar a bola nas redes. Destaques para Diego Alves, o melhor em campo, além de Léo Duarte, Renê e Vinícius Júnior.

O Fluminense já se apresentou com uma formação defensiva, apenas um home na frente, apostando basicamente nos contra-ataques. Mesmo assim, deixava muitos espaços para o Flamengo, tanto que o time da Gávea esteve pelo menos duas vezes próximo de abrir o placar, em tentativas de Vinícius Júnior. Na primeira, aos 12 minutos, em cruzamento que Léo Duarte não alcançou, e na segunda, aos 13, num chute de fora da área, que Júlio César defendeu quase no chão.

Aos poucos, no entanto, o Tricolor começou a acertar a marcação, e a sair para o jogo. Mas quando parecia ganhar confiança, Éverton Ribeiro cruzou da esquerda, numa bola que já caminhava para a linha de fundo, Marlon empurrou desnecessariamente Marlos Moreno. Henrique cobrou o pênalti, à esquerda, e fez 1 a 0.

O Fluminense não se mostrou abalado, embora continuasse oferecendo campo, que o Rubro-Negro, abusando do preciosismo, não aproveitava, parecendo mais preocupado em provocar o adversário do que em marcar gols. Aos 41, Rodinei poderia ter sido expulso, se o árbitro tivesse visto a cotovelada que o lateral, sem motivo aparente, soltou no rosto de João Carlos.

Aos 43, em nova chance para ampliar, o time demorou demasiadamente para definir o que fazer, desprezou opções, e o ataque acabou em pancada de Vinícius Júnior, que Júlio César mandou para escanteio. Mas é importante frisar que o Tricolor nem de longe havia desistido do jogo. A pressão no fim do primeiro tempo era a prova.

No intervalo, seria prudente que Maurício Barbiéri chamasse a atenção dos comandados para acabar com as firulas e decidisse logo a partida. Mas quem tomou providências foi Abel Braga. Acabou com o 3-5-2, trocando o pilhado Renato Chaves por Pablo Dyego, e o apagado Sornoza por Matheus Alessandro, ou seja, a ordem do técnico do Fluminense foi atacar. E o time das Laranjeiras saiu em busca do empate, embora, vale ressaltar, voltasse com dificuldade para recompor, dando assim oportunidades para os contra-ataques rubro-negros. João Carlos, aliás, também correu o risco de levar cartão vermelho, ao revidar em Rodinei.

Aos 10 minutos, Pablo Dyego, machucado, saiu para a entrada de Robinho, sugerindo que o Fluminense diminuiria a velocidade. Aos 17, Barbiéri fez o favor de lançar Jean Lucas no lugar de Marlos Moreno. E o jogo prosseguiu lá e cá. Mas Henrique Dourado atrasava o time quando saía para frente, daí a sua troca por Felipe Vizeu, aos 22. E enquanto o Flamengo demorava a definir, errando passes em excesso, ficava no ar aquela impressão de que o empate poderia surgir a qualquer momento. Aos 26, Rhodolfo, contundido, deu a vaga para Thuler.

Na prática, o time da Gávea não criava nada de útil, e o Fluminense apertava o cerco. Aos 34’, no entanto, quem marcou de novo foi o Flamengo, que foi enfim objetivo, acertando os passes, na tabela entre Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro, que rolou para Felipe Vizeu tirar Jùlio César e enfiar: 2 a 0. Daí em diante, nada que pudesse ameaçar a vitória, merecida principalmente pelo empenho da turma.

FLAMENGO 2 x 0 FLUMINENSE / RJ

Data: Quinta-feira, 7 de junho de 2018.

Competição: Campeonato Brasileiro / 10ª rodada.

Local: Estádio Nacional / Mané Garrincha, em Brasília / DF.

Público: 59.987 pagantes / 60.000 presentes / 13 gratuidades.

Arbitragem: Dewson Fernando Freitas da Silva, Hélcio Araújo Neves e Heronildo Freitas da Silva / PA.

Gols: Henrique Dourado 27’ (pênalti – falta de Marlon em Marlos Moreno) e Felipe Vizeu 79’.

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Léo Duarte, Rhodolfo (Thuler 71’) e Renê; Cuellar, Lucas Paquetá, Éverton Ribeiro e Marlos Moreno (Jean Lucas 62’); Henrique Dourado (Felipe Vizeu 62’) e Vinícius Júnior. Técnico: Maurício Barbiéri.

FLUMINENSE: Júlio César, Gum, Renato Chaves (Pablo Dyego – intervalo) (Robinho 55’) e Luan Peres; Gilberto, Richard, Douglas, Jádson, Sornoza (Matheus Alessandro – intervalo) e Marlon; João Carlos. Técnico: Abel Braga.

Créditos pela imagem: Staff Images/Flamengo via lancenet