Não é muito fácil derrotar o Corinthians quando o time paulista sabe da importância da partida, o que ficou mais uma vez evidente no duelo de hoje, no Maracanã. Haja paciência para superá-lo, notadamente com Vinícius Júnior em tarde pouco inspirada. E, no entanto, o Flamengo, conseguiu encontrar uma brecha, quando restavam 10 minutos, com um gol pouco provável de Felipe Vizeu, um tanto descartado nos últimos tempos – muita gente deve ter torcido o nariz na hora em que ele pisou o gramado. Flamengo 1 a 0, líder isolado do Brasileiro, com destaques para Léo Duarte, Renê, Lucas Paquetá, Diego, e…. ele, Vizeu.

O Corinthians começou bem recuado, deixando o Flamengo propositadamente com a posse da bola, pois impedia o adversário de criar oportunidades, como mantinha a possibilidade de surpreender nos contra-ataques. Na realidade, nada que fosse novidade, pois a estratégia do time paulista, notadamente fora de casa, é quase sempre essa. Pois a equipe da Gávea, sem imaginação, ciscava em excesso, e acabava esbarrando na retaguarda alvinegra, que na prática não tinha muito trabalho, pois se os meias e atacantes de Barbiéri não conseguiam tabelar, os laterais também não mostravam eficiência no apoio.

O problema é que por volta dos 20 minutos, o Corinthians, que não acertava a saída, passou a fazê-lo, chegando vez por outra próximo da área carioca. Aos 32 minutos, Jádson sentiu contusão e foi substituído por Roger, trazendo ainda mais dificuldades para a retaguarda rubro-negra, dado que o adversário ganhou um centroavante de ofício. O Flamengo, na verdade, só conseguiu assustar uma vez, numa virada de Henrique Dourado, que desviou na zaga e foi para escanteio. E o Corinthians ameaçou em duas finalizações, de Jádson e Roger, que também não foram suficientes para tirar o zero do placar.

Os times voltaram para o segundo tempo sem mudanças. Mas o jogo de xadrez prosseguiu. E se as peças do tabuleiro paulista mantinham uma inalterável obediência tática, as do rubro-negro, sentindo a obrigação de ganhar, por jogar em casa, erravam quase sempre o último passe, proporcionando os contra-ataques ao adversário. Por volta dos 10 minutos, já se notava no Flamengo a necessidade de uma mexida, levando-se em consideração que a dificuldade para acertar as jogadas ofensivas era flagrante. Quanto ao Corinthians, tudo igual: um time bem armado, que não tem pressa em aguardar os cochilos do oponente, e que costuma ser rápido e fatal nestes momentos.

Aos 23 minutos, após errar um passe que poderia ser proveitoso, Henrique Dourado saiu para a entrada de Felipe Vizeu, para dar, quem sabe maior movimentação aos homens de frente. Pouco depois, Osmar Loss também trocou, Pedrinho por Marquinhos Gabriel, para tornar o time mais veloz. Quando o desânimo começava a tomar conta da galera, Diego puxou contra-ataque, rolou para Lucas Paquetá, que bateu com estilo – Walter defendeu, e Felipe Vizeu, atento, mandou para dentro: 1 a 0. Daí em diante, acabou a técnica, e valeu a raça. Novas mudanças, que não influíram no resultado. Não é fácil vencer o Corinthians. E o Flamengo conseguiu.

FLAMENGO 1 x 0 CORINTHIANS / SP

Data: Sábado, 3 de junho de 2018.

Competição: Campeonato Brasileiro / 9ª rodada.

Local: Estádio Jornalista Mário Filho / Maracanã, no Rio de Janeiro / RJ.

Público: 44.075 pagantes / 49.222 presentes / 5.147 gratuidades.

Arbitragem: Anderson Daronco, Élio Nepomuceno de Andrade Júnior e Rafael da Silva Alves / RS.

Gol: Felipe Vizeu 80’.

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Léo Duarte, Rhodolfo e Renê; Jonas, Diego, Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro (Jean Lucas 85’); Henrique Dourado (Felipe Vizeu 68’) e Vinícius Júnior (Marlos Moreno 90’). Técnico: Maurício Barbiéri.

CORINTHIANS: Walter, Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel (Kazim 84’), Maycon, Matheus Vital e Jádson (Roger 32’); Rodriguinho e Pedrinho (Marquinhos Gabriel 74’). Técnico: Osmar Loss.

(Foto: André Durão via globoesporte.com)