O Flamengo fez talvez a sua melhor partida em 2018, ao derrotar o Sport por 4 a 1, no Maracanã, não só pelo placar, mas principalmente porque levou o jogo a sério do princípio ao fim, só diminuindo o ritmo após o quarto gol, por causa da maratona de agosto, que começa na quarta-feira, contra o Grêmio, em Porto Alegre.

E não vale aqui discutir a qualidade do adversário de hoje, dado que a equipe de Maurício Barbiéri enfrentou outros do mesmo nível, e não importa o resultado, e não mostrou, em várias ocasiões, a raça e a técnica que a torcida assistiu neste domingo. Não houve acomodação. Ninguém jogou mal. E mais: Marlos Moreno enfim brilhou, e Uribe marcou o seu, o primeiro na Gávea. Esse Flamengo justifica a liderança do Brasileiro.

Não é absurdo afirmar que o Flamengo já massacrou o Sport desde o primeiro tempo. Fez 1 a 0 aos 13 minutos, com Réver aproveitando escanteio cobrado por Diego, e continuou pressionando, mal deixando o adversário respirar.

Havia, no entanto, uma diferença para o jogo contra o Botafogo, quando o Rubro-Negro caiu num preciosismo absurdo, perdendo a oportunidade de aplicar uma goleada histórica, diante de um time efetivamente frágil, que não oferecia resistência. Na partida de hoje, havia do outro lado uma equipe bem armada, capaz de assustar nos contra-ataques.

Assim, não foi por desleixo que o Flamengo não ampliou, mas porque encontrava dificuldade de fato. Além é claro – e aqui raramente se fala de arbitragem – da omissão do juiz paulista, que fez vista grossa num pênalti de Cláudio Winck em Marlos Moreno, aos 30 minutos. Vida que segue. Logo, no conjunto da obra, o gol de empate marcado pelo mesmo Cláudio Winck, aos 43 minutos, foi de uma injustiça sem par.

Veio o tempo final, e com ele, a dúvida: será que o time vai manter o ritmo? Resposta positiva. Aos três minutos, Uribe escorou para Lucas Paquetá, aproveitando falha de Ronaldo Alves, bater sem chance: 2 a 1. Aos cinco, Diego cobrou falta para Marlos Moreno, que rolou para Éverton Ribeiro acertar de longe: 3 a 1. Ao contrário do que ocorreu em praticamente toda a temporada, o Flamengo prosseguiu sem dar tréguas ao Sport. Aos 18, Uribe recebeu de Éverton Ribeiro, matou no peito à direita de Magrão, que engoliu o seu franguinho.

Daí em diante, o time ainda correu um pouquinho, mas foi, aos poucos, segurando a onda, natural quando se sabe que vem uma sequência de partidas importantes.

FLAMENGO 4 x 1 SPORT / PE

Data: Domingo, 29 de julho de 2018.

Competição: Campeonato Brasileiro / 16ª rodada.

Local: Estádio Jornalista Mário Filho / Maracanã, no Rio de Janeiro / RJ.

Público: 53.591 pagantes / 58.817 presentes / 5.226 gratuidades.

Arbitragem: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo / SP.

Gols: Réver 13’, Cláudio Winck 43’, Lucas Paquetá 48’, Éverton Ribeiro 50’ e Uribe 63’.

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Cuellar, Diego, Lucas Paquetá, Éverton Ribeiro ( Geuvânio 73’) e Diego (Guerrero 73’); Marlos Moreno (Jean Lucas 76’) e Uribe. Técnico: Maurício Barbiéri.

SPORT: Magrão, Raul Prata (Cláudio Winck 21’), Ronaldo Alves, Léo Ortiz e Sander; Deivid (Ferreira 76’), Felipe Bastos (Carlos Henrique 69’), Marlone e Michel Bastos; Gabriel e Rafael Marques. Técnico: Claudinei Oliveira.