Numa partida intensamente disputada, na qual o Grêmio foi melhor, enquanto o fôlego sobrou, o Flamengo venceu o time gaúcho por 1 a 0, e está nas semifinais na Copa do Brasil, quando enfrentará o Corinthians. Assim, na realidade, como o que interessa é quem fez gol, e ficou com a vaga, o Flamengo é que fez a festa, sofrida, mas intensamente comemorada, levando-se em conta o ótimo nível do adversário.

O jogo começou equilibrado. Mas o time da Gávea fez 1 a 0 logo aos cinco minutos – falha de Bruno Cortez, rebote e conclusão de Éverton Ribeiro no canto esquerdo – e recuou, primeiro por opção, para apostar em contra-ataques, e depois por pressão do adversário, que soube aproveitar o espaço cedido pelo Rubro-Negro. O Flamengo não conseguia sair de trás, e sequer segurar a bola, permitindo que o Grêmio, com marcação implacável no próprio campo da equipe carioca, trocasse passes no limite da área, embora não tenha criado, na prática, chance alguma. Assim, o único mérito do time de Maurício Barbiéri até ali, além do gol, é claro, foi defender com segurança, pouco para quem jogava em casa. Logo, o desafio do Flamengo, para a etapa final, era impedir um adversário com qualidade ter a posse da bola. Só agredindo mais poderia o time da Gávea obter a classificação.

O jogo recomeçou como se via antes do intervalo. A exemplo do que ocorrera em Porto Alegre, no dia 1º, o visitante pressionava. E o local continuava sem saber como sair da toca. Aos três minutos, Ramiro bateu cruzado, mas André e Éverton chegaram atrasados. Diante da inquietação da torcida, o Flamengo passou a exagerar nos erros, deixando cada vez mais os rebotes nos pés dos adversários. Aos 11, veio a primeira tentativa de mudar o cenário: Marlos Moreno substituiu Vitinho. A criatura entrou buscando movimentação. Após os 15 minutos, a equipe gaúcha diminuiu o ritmo – difícil mantê-lo naquela intensidade – e a carioca respirou um pouco. Entre os 20 e 25, o Grêmio trocou André e Leonardo Moura respectivamente por Jael e Marinho, sinalizando que o objetivo era ampliar o poder ofensivo. Aos 31, numa escaramuça – como diziam os antigos – o Flamengo, numa confusão na área, tendo Lucas Paquetá como protagonista, esteve próximo de marcar. E o jogo caminhou definitivamente para um desfecho indefinido. Maicon deu vaga a Alisson e Cuellar, contundido, a William Arão, trocas óbvias para quem perdia e ganhava. Diego, esgotado, saiu para a entrada de Rômulo. E o árbitro acrescentou mais seis minutos. Pouco para o Grêmio e uma vida para o Flamengo.

Mas valeu, enfim, o gol de Lincoln em Porto Alegre. E que venha o Corinthians.

FLAMENGO 1 x 0 GRÊMIO / RS

Data: Quarta-feira, 15 de agosto de 2018.

Competição: Copa do Brasil / Quartas de Final / Volta.

Local: Estádio Jornalista Mário Filho / Maracanã, no Rio de Janeiro / RJ.

Público: 50.803 pagantes / 55.461 presentes / 4.658 gratuidades.

Arbitragem: Ricardo Marques Ribeiro / MG, Danilo Ricardo Simon Manis / SP e Kléber Lúcio Gil / SC.

Cartões amarelos: Diego Alves 71’, Maicon 74’, Renê 78’, Luan e Diego 88’, Henrique Dourado 89’, Marinho 93’ e Douglas 95’ (no banco).

Gol: Éverton Ribeiro 5’..

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Cuellar (William Arão 84’), Lucas Paquetá, Diego (Rômulo 90’) e Éverton Ribeiro; Vitinho (Marlos Moreno 56’) e Henrique Dourado. Técnico: Maurício Barbiéri.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Leonardo Moura (Marinho 70’), Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon (Alisson 82’), Jaílson, Ramiro e Luan; Éverton e André (Jael 65’). Técnico: Renato Gaúcho.