Morreu Marcial, um dos grandes goleiros da história do Flamengo, autor de uma das mais espetaculares e importantes defesas do Maracanã, no jogo em que o estádio recebeu o seu maior público de confrontos entre clubes, o Fla-Flu decisivo do Estadual de 1963, que deu ao Rubro-Negro o título daquele ano, após sete anos de jejum.

A partida caminhava para o final, quando Escurinho, o famoso ponta-esquerda tricolor, ficou cara a cara com Marcial, e na dúvida, preferiu tentar encobri-lo, com um toque de categoria. O goleiro, conhecido como “Homem de Gelo”, pela calma que transmitia em campo aos companheiros, deu dois passos para trás, e segurou a bola com as duas mãos, impedindo aquele que seria o gol da vitória e do campeonato do Fluminense.

Este que vos escreve fez uma longa entrevista com Marcial em 2013, quando o Estadual de 1963 completou 50 anos, e ele revelou que antes de seguir para o Maracanã para o Fla-Flu, naquela tarde calorenta de dezembro, cochilou tranquilamente durante meia hora na antiga concentração do Flamengo, em São Conrado, após o almoço, sem qualquer preocupação com a partida que reuniria, três horas adiante, quase 200 mil pessoas, sob um sol de 35 graus.

O Fla-Flu terminou 0 a 0, e o Rubro-Negro, que jogava pelo empate, deixou o Maracanã com o seu 14º título carioca, numa época em que isso representava tudo que um clube gostaria de conquistar.

Marcial nasceu em 3 de junho de 1941, na cidade de em Tupaciguara, região do Triângulo Mineiro, e também jogou no Atlético e no Corinthians. Encerrou a carreira aos 27 anos de idade, ao perceber que não poderia conciliar o curso de Medicina, que pretendia concluir – como o fez – com o futebol, que exigia tempo excessivo. Desde então, exercia a sua profissão em Belo Horizonte, e seu desaparecimento, aos 77 anos de idade, se traz tristeza, resgata também e mais uma vez a lembrança viva de uma gloriosa página da história do Clube de Regatas do Flamengo, a do título de 1963, de importância fundamental para a geração deste que vos escreve.

Que descanse em paz.