Se você possui um punhado de estrelas, o que o futebol exige é que os jogadores tenham a capacidade de partir para cima, utilizando o drible como principal característica. Foi o que Bruno Henrique, que entrou após o intervalo, fez, justificando a sua contratação, explorando a fragilidade e o visível cansaço do Botafogo, marcando duas vezes, virando o placar. Com a vitória, o Rubro-Negro passou a ter posição mais tranquila na tabela, com sete pontos. Joga com o Boavista e a Cabofriense, respectivamente terça e domingo, ambos no Maracanã.

Aos 23 minutos, Jean chutou de fora da área, João Paulo desviou, e a bola entrou no canto esquerdo de Diego Alves: 1 a 0. Foi o que houve no primeiro tempo. Nada além.

O Flamengo voltou com a necessidade de vencer, pois o investimento é absurdo, a classificação começava a balançar, e afinal, é um clássico. O Alvinegro manteve a postura tática, o suficiente para bloquear por completo o adversário, na primeira etapa, o que não era difícil, dada a apatia contrária.

Mas o time havia trocado Vitinho – que estava em campo, mas ninguém percebeu – por Bruno Henrique, no intervalo, e o atacante resolveu mostrar serviço. Aos 18, empatou, de cabeça, após escanteio cobrado por Éverton Ribeiro. Aos 25, apanhou sobra para bater de primeira: 2 a 1. Na realidade, a condição física do Botafogo estava pendente, e a reação, depois da virada parecia complicada, pois o Flamengo parecia disposto a impedi-la, superando a preguiça do primeiro tempo.

Mas é fato que não convenceu. Esse expediente de trocar time não vai dar certo. Definitivamente. E o público, hein? A culpa é dos que dizem que o Estadual não vale nada.

FLAMENGO 2 x 1 BOTAFOGO / RJ

Data: Sábado, 26 de janeiro de 2019.

Competição: Campeonato Estadual / Grupo B / Taça Guanabara / 3ª rodada.

Local: Estádio Nílton Santos / Engenhão, no Rio de Janeiro / RJ.

Público: 5.314 pagantes / 6.268 presentes / 954 gratuidades.

Arbitragem: Maurício Machado Coelho Júnior, Daniel do Esopírito Santo Parro e Michael Correia / RJ.

Cartões amarelos: Diego 49’, Alex Santana 51’, Bruno Henrique 53’,

Gols: João Paulo 23’ e Bruno Henrique 63’ e 70’.

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Rhodolfo, Rodrigo Caio e Renê; Cuellar, William Arão, Diego (Piris da Motta 76’) e Éverton Ribeiro; Uribe (Gabriel 66’) e Vitinho (Bruno Henrique – intervalo). Técnico: Abel Carlos da Silva Braga.

BOTAFOGO: Gatito Fernandez, Marcinho, Marcelo Benevenuto, Gabriel e Jonathan (Lucas Barros 60’); Jean (Rodrigo Pimpão 75’), Alex Santana, João Paulo (Alan Santos 38’) e Luiz Fernando; Erick e Kieza. Técnico: Zé Ricardo.

Foto: Andre Durão via site globoesporte