A vitória do Flamengo, 3 a 1 sobre a Portuguesa, em Volta Redonda, não valeu como referência, pois há um abismo colossal entre os dois times, que foi ampliado com dois gols nos primeiros cinco minutos. Na prática, não havia motivo para tentar desesperadamente um resultado histórico, dado que a estréia na Libertadores, prevista para a próxima terça-feira, nos quase quatro mil metros de altitude de Oruro, não recomendava maior esforço.

O que o Flamengo fez de melhor foi efetivamente massacrar o adversário logo no começo, explorando a sua fragilidade, o suficiente para garantir os três pontos. Aos 23 do segundo tempo, Renê fez lindo lançamento para Gabriel enfiar 3 a 0. Mesmo assim, o Rubro-Negro desperdiçou várias oportunidades, quase todas por capricho, mas não conseguiu – que miséria! – deixar o campo sem tomar gol. Aos 34, PK entrou livre e descontou.

Na realidade, o que preocupa agora não é necessariamente o San José, mas as características da cidade boliviana. Não bastassem os 3.700 metros, há ainda a hostilidade comum às torcidas sul-americanas, que costumam encarar jogos assim com o “vida o muerte”. O San José, na realidade, é como o trecho da música de Bezerra da Silva. “Você com o revólver na mão é um bicho feroz / sem ele, anda rebolando, e até muda de voz”. Nada além.

Mas existe ainda outra preocupação, e com o próprio Flamengo, que já teve dificuldades na Bolívia em várias ocasiões, pois aceitou as imposições locais desde muito cedo, recuando excessivamente, ou com problemas para lidar com o clima, o que é sempre complicado.

Parece fácil comentar, mas infelizmente só é possível encontrar o jeito de jogar por lá após experimentar o ambiente, o que pode demorar 15 ou 20 minutos. É comum enfrentar, fora a altitude, frio, vento e até neblina, ou seja, fatores que vão muito além do cotidiano. Logo, um empate em Oruro não seria ruim, mas se entrar tendo tal resultado como objetivo não vai suportar o revés. Oremos, pois.

FLAMENGO 3 x 1 PORTUGUESA / RJ

Data: Quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019.

Competição: Campeonato Estadual / Taça Rio de Janeiro / 2ª rodada.

Local: Estádio General Silvio Raulino de Oliveira / Cidadania, em Volta Redonda / RJ.

Público: 5.496 espectadores.

Arbitragem: Philip Georg Bennett, Andréa Izaura Maffra Marcelino de Sá e Rodrigo Figueiredo Henrique Correia / RJ.

Cartões amarelos: Marcão 39’, William Arão 85’, Berrio 87’, Romarinho 90’ e Fabinho 92’.

Gols: Bruno Henrique 4’, Gabriel 5’ e 68’ e PK 79’.

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuellar, William Arão, Arrascaeta e Diego (Berrio 76’); Bruno Henrique (Vitinho 72’) e Gabriel (Uribe 80’). Técnico: Abel Carlos da Silva Braga.

PORTUGUESA: Ruan, Formiga, Andrezinho (PK – intervalo), Marcão e Zeca; Chacal, Muniz (Douglas Eskilo 53’), Romarinho e Diguinho; Tiago Amaral (Fabinho 72’) e Emerson. Técnico: Aílton dos Santos Ferraz – Aílton Ferraz.