É uma insensatez, antes de tudo, lançar reservas em um clássico. Esses atletas têm toda a infraestrutura, ganham uma fortuna, e são jovens o suficiente para suportar dois campeonatos. Mas o Vasco foi ainda mais incompetente e só conseguiu o empate – de 1 a 1 – nos acréscimos, graças um pênalti. Rodinei desperdiçou uma oportunidade absurda e fez o time merecer o castigo.

Os times fizeram uma boa partida, no começo, quando saíram em busca do gol. Aos poucos, no entanto, a mediocridade prevaleceu, pela dificuldade que ambos mostraram para criar algo de interessante. O Flamengo teve uma falta na risca da área, cobrada com evidente desprezo, e o Vasco cabeceou duas bolas para fora, sem marcação, aproveitando as falhas da zaga rubro-negra.

O início do segundo tempo, a exemplo do primeiro, foi movimentado. Com uma diferença básica, que modificou o ritmo do jogo: o Flamengo fez 1 a 0, com Arrascaeta, um belo gol, inteiramente trabalhado, da defesa até a conclusão. Daí a velocidade. O time da Gávea, com a vantagem, recuou, para matar no contra-ataque. Como o Vasco oferecia espaços para tal, pois Ronaldo quase ampliou – ótima intervenção de Fernando Miguel – Alberto Valentim providenciou a primeira troca, de Yago Pikachu por Rossi, logo aos 13 minutos. Impressionava a quantidade de faltas que o Rubro-Negro cometia na entrada da área, e pior, a incapacidade de aproveitá-las. O Vasco lançou Bruno César. O Flamengo pôs Bruno Henrique e Lucas Silva. E desperdiçou várias oportunidades.

O treinador cruz-maltino fez a última aposta, substituindo Raul por Ribamar, enquanto Abel Braga reforçou o meio, com Kléber na vaga de Éverton Ribeiro. A ordem de um era atacar a todo custo. A do outro segurar. A quantidade de erros nos passes, lá e cá, era absurda. O presepeiro Maxi Lopez cavou pênalti. E Rodinei perdeu uma chance inacreditável. Nos acréscimos, Thuler derrubou Marrony na área. Maxi Lopez cobrou e fez 1 a 1. Ridículo. Lamentável.

FLAMENGO 1 x 1 VASCO / RJ

Data: Sábado, 9 de março de 2019.

Competição: Campeonato Estadual / Taça Rio de Janeiro / 3ª rodada.

Local: Estádio Jornalista Mário Filho / Maracanã, no Rio de Janeiro / RJ.

Público: 26.809 pagantes / 29.226 presentes / 2.417 gratuidades.

Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães, Luiz Cláudio Regazone e Thiago Henrique Neto Correia Farinha / RJ.

Cartões amarelos: Thiago Galhardo e Trauco 19’, Werley 27’, Éverton Ribeiro 37’, Yago Pikachu 43’, Piris da Motta 62’, Bruno Henrique 91’, Rodinei e Max Lopez 92’ e Thuler 94’.

Gols: Arrascaeta 47’ e Maxi Lopez 95’ (pênalti).

FLAMENGO: César, Rodinei, Thuler, Hugo Moura e Trauco; Piris da Motta, Ronaldo, Arrascaeta e Éverton Ribeiro (Kléber 76’); Vitor Gabriel (Bruno Henrique 66’) e Vitinho (Lucas Silva 73’). Técnico: Abel Carlos da Silva Braga.

VASCO: Fernando Miguel, Raul Caceres, Werley, Leandro Castan e Danilo Barcelos; Raul (Ribamar 74’), Lucas Mineiro, Thiago Galhardo (Bruno César 66’) e Marrony; Yago Pikachu (Rossi 58’) e Maxi Lopez. Técnico: Alberto Valentim.